23/05/2019 | 17:43
JundiaíPolítica

Eleições 2020: Márcia Pará lança pré-candidatura

500leituras

Na última quinta-feira (7), a ativista política de 32 anos, Márcia Pará, lançou a sua pré-candidatura à prefeita de Jundiaí. Principal opositora à gestão de Luiz Fernando Machado (PSDB), Márcia carrega como principal bandeira a renovação geral da política da cidade.

Para provar que seu principal foco é a renovação, a pré-candidata se desfiliou do MDB, partido do qual foi filiada por oito anos e está estudando um partido que também abrigue o projeto de renovação geral, que conta, em sua maioria, com jovens que pretendem ocupar os espaços públicos. Visando se desvencilhar de figuras da velha política, Márcia afirma que nenhum destes será aceito em seu futuro partido. Quanto ao posicionamento político, Márcia afirma ser de centro.

Segundo Márcia, após o lançamento de sua pré-candidatura, alguns políticos tradicionais da cidade ligaram para ela oferecendo abrigo em seus partidos, mas houve recusa por sua parte, já que não condiz com a renovação pregada.

Jornais tendenciosos, ação orquestrada e ataques

Logo após o anúncio de sua pré-candidatura, Márcia sofreu ataques de alguns jornais de Jundiaí, que tentaram ligá-la ao ex-prefeito Pedro Bigardi (PDT), que provavelmente concorrerá contra Márcia o cargo de prefeito. Segundo ela, o que causa estranheza é que dois jornais que recebem verba de publicidade da Prefeitura de Jundiaí postaram matérias semelhantes, inclusive com posicionamento de fotos idênticos. Além disto, um dos jornais patrocinou a matéria no Facebook.

Gestão atual

“É notório o descontentamento da população com esta gestão, e eu particularmente acho péssimo, pois não tem dado conta de resolver as coisas básicas da cidade, como por exemplo, a poda do mato. O governo tem sido tão ruim na cidade que as pessoas que sempre apoiaram o prefeito estarão conosco na chapa de oposição, que inclusive já tem diversos pré-candidatos à vereança”, afirma Márcia.

Oposição e posicionamento

Márcia afirma que a tentativa de ligá-la ao Bigardi é na realidade uma tentativa de liga-la à esquerda, mas a pré-candidata afirma que não tem nenhum vínculo com a esquerda e que a nova oposição jundiaiense não será vermelha.

“Será um movimento do próprio povo, que está indignado com os políticos tradicionais da cidade”, afirma.

Leave a Response